Skip to main content

Brasileiros que praticam exercícios físicos aumentam 24%


Se você tem a sensação de que, ao transitar pelas ruas e academias, avista, cada vez mais, um número maior de pessoas praticando corrida, saiba que sua percepção tem fundamento. Segundo a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) 2017, elaborada pelo Ministério da Saúde, a quantidade de atletas corredores aumentou 194% no país, entre os anos de 2006 e 2017.



No mesmo período, o estudo, divulgado esta semana, também revela uma maior procura pelas modalidades de luta, incluindo artes marciais, como o judô, o karatê e o kung fu. Nesse caso, o aumento foi 109%.

Ao mesmo tempo, o futebol vem perdendo espaço nas capitais brasileiras. Durante o intervalo analisado, o total de praticantes da categoria desportiva caiu quase pela metade (43,5%).

De acordo com a pasta, a caminhada é o exercício físico mais comum, sendo praticado por 33,6% da população. Na sequência, aparecem a musculação (17,7%), o futebol (11,7%) e as lutas e artes marciais (2,3%).

Além disso, estima-se que 37% da população das capitais brasileiras façam, ao menos, 150 minutos de atividade física por semana, mínimo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Fragmentada nos sete dias da semana, a duração é de, aproximadamente, 22 minutos diários. O índice é motivo de comemoração, já que cresceu 24,1%, de 2006 até o ano passado.

No Vigitel, o nível de atividade física dos adultos pode ser avaliado em quatro domínios: no tempo livre (lazer), na atividade ocupacional, no deslocamento e no âmbito das atividades domésticas. São considerados ativos os adultos que praticam atividades físicas por pelo menos 150 minutos de exercícios de intensidade moderada por semana ou pelo menos 75 minutos semanais de atividade física de intensidade vigorosa. Caminhada, caminhada em esteira, musculação, hidroginástica, ginástica em geral, natação, artes marciais e luta, ciclismo e voleibol/futevôlei e dança foram classificados como práticas de intensidade moderada. Já corrida, corrida em esteira, ginástica aeróbica, futebol/futsal, basquetebol e tênis compõem o grupo de práticas de intensidade vigorosa.

Perfil
Os pesquisadores destacam ainda uma predominância do hábito entre homens (43,4%) e pessoas nas faixas etárias de 18 a 24 anos (49,1%) e 25 a 34 anos (44,2%). Outra relação evidenciada pelo ministério é o grau de escolaridade dos desportistas, considerando que 47% dos brasileiros que praticam atividade física já têm completos 12 anos ou mais de educação formal.

As capitais brasileiras onde menos se pratica atividade física, conforme a pesquisa, são São Paulo (29,9%), João Pessoa (34,45) e Recife (35,2%). Brasília - considerada na pesquisa como Distrito Federal, por englobar as cidades vizinhas - (49,6%), Palmas (45,9%) e Macapá (45,5%), por outro lado, apresentam os melhores índices.

Publicado em 25/12/2018 - 15:45
Por Letycia Bond - Repórter da Agência Brasil  Brasília
Edição: Valéria Aguiar 
Reprodução: Blog Saúde Franca

Comments

Popular posts from this blog

O que é a Quiropraxia e como ela pode nos ajudar?

O que quiropraxia?  O termo quiroprático é derivado de duas raízes gregas: "Queiro" (mãos) e "praxis" (prática), isto é, "praticando com suas mãos". A técnica é uma especialização avançada da fisioterapia e lida com o diagnóstico, tratamento e prevenção de problemas no sistema neuro-muscular, bem como seus efeitos saudáveis  em geral, permitindo correções postais, prolongamento do alívio muscular e doloroso.  Quiropraxia, uma técnica avançada da Fisioterapia O quiroprático profissional da fisioterapia que se especializa em técnicas manuais para tratamento da dor, com estudo em radiologia, patologia, anatomia, neurologia, biomecânica e filosofia. O tratamento é frequentemente feito com as mãos, com manobras altas ou de baixa velocidade extremamente seguras. Normalmente o Quiropraxista também conta com equipamentos de apoio, em especial uma maca ergométrica. A Quiropraxia , quando combinada com a Osteopatia , oferece resultados ainda mais surpreendetes. Maca

Franca tem o maior crescimento de COVID19 do Estado

A fundação Seade, órgão estatístico vinculado ao Governo de São Paulo e centro de referência nacional na produção e disseminação de análises e estatísticas socioeconômicas, divulgou novos dados sobre COVID19 no Estado de São Paulo  e constatou que a região de Franca é aquela que apresentou o maior crescimento de óbito por causa do novo corovanirus no Estado, uma alta de 57.7% no período de 8 à 14 de julho. O crescimento semanal de Franca foi 10 vezes a média do Estado no mesmo período, que se manteve em 5%. Franca está na Zona Vermelha desde 26 de junho, portanto apenas serviços essenciais podem funcionar. Além do forte crescimento de casos, outro fator que influencia Franca estar na zona vermelha é a altíssima taxa de ocupação das UTIs, recentemente a Santa Casa da cidade declarou estar com 100% das UTIs ocupadas. Hoje, sexta-feira (17) será atualizado o mapa do plano de São Paulo e a expectativa é que Franca permaneça na zona vermelha.

Cursos de Pilates e Fisioterapia on-line fazem sucesso

  A possibilidade de aprender sem sair de casa está chamando a atenção muitas pessoas que estavam querendo mudar de carreira ou precisaram se reinventar durante o isolamento pelo coronavírus. Com esses cursos profissionais das mais diversas áreas conseguem se especializar ou até desenvolver habilidade gerais for a da sua área, mas que podem impulsionar seu negócio como marketing, gestão e vendas. Nos últimos meses, educação e tecnologia têm se aproximado cada vez mais. Uma pesquisa de 2019 feita pela Pearson com mais de 11.000 alunos em 19 países indicou que esse cenário de ensino interrompido já estava se desenrolando: 68% dos entrevistados concordaram que um diploma ou certificado de uma escola profissionalizante tinha mais probabilidade de resultar em um bom trabalho na carreira perspectivas do que um diploma universitário. Três em cada quatro entrevistados também disseram acreditar que precisam continuar estudando depois da faculdade para se manterem relevantes no mercado de trab